Sejam bem-vindos!

“Não há fé inabalável senão aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade.”
(O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec)

Procurando no Blog

Carregando...

sábado, 28 de abril de 2012

Documentário: Super Size Me - A Dieta do Palhaço


“Polêmico, instigante e desafiador”
Veja o que o fast food pode fazer com você!
Vencedor de inúmeros prêmios, Super Size Me é um filme sério e divertido, trágico e cômico. Afinal, a saúde é alvo de grande preocupação do homem moderno. Morgan Spurlock se propôs a comer por 30 dias apenas itens do cardápio do Mc Donalds para provar os efeitos nocivos desse tipo de comida no corpo humano. Sem perder o humor conseguiu atrair a atenção de uma das redes de faz food mais famosas do mundo, que inclusive vem alterando seu cardápio com itens mais saudáveis depois do sucesso mundial do alerta de Super Size Me. Sucesso no mundo inteiro vai fazer você rir muito... e pensar também.
E agora?
O que podemos fazer enquanto educadores (as)?
Quais as atitudes que poderíamos tomar para que nossos alunos (as) tivessem uma qualidade de vida melhor, quando pensamos em alimentação saudável?
            A qualidade de vida alimentar de nossos educandos está estritamente relacionada à atuação da família e do educador. Muitos de nossos adolescentes trocariam de bom grado a refeição caseira por um lanche com hambúrguer ou cachorro quente, batata frita e refrigerante (Super Size).
            O problema é que esse tipo de refeição, chamada de fast food (comida rápida), não preenche todas as necessidades vitamínicas de nosso organismo. Além disso, há muita caloria em forma de gordura, que pode levar à obesidade ou ao aumento do colesterol de nossos alunos, sem falar do excesso de sal e da baixa quantidade de fibras presentes nestes fast food.
            Para os adolescentes ir à lanchonete é um programa legal, assim como, para nós adultos também. Mas esse ato não deve substituir com freqüência uma alimentação variada e equilibrada. Ao comer fora, seria interessante pensar em outras opções também, como saladas, hábito que não é muito comum entre a maioria dos jovens.
            O processo de educação alimentar deve envolver toda família, pois servem de modelo para nossos alunos. Um importante desafio trata de promover uma alimentação saudável é a mudança de hábito, que deve vir de dentro da família buscando apoio no sistema educacional. As práticas alimentares inapropriadas de nossos alunos representam o baixo nível de informação da população em relação a atitudes que podem melhorar as condições de saúde entre as quais se inclui a atividade física podem ser identificadas por todos nós.
            A desnutrição ou a alimentação inadequada estão em constante ligação com nossa sociedade. No entanto, os problemas decorrentes de carência nutricional não estão relacionados especificamente à falta de alimentos.
            Na hora de propor alterações no cardápio de nossos alunos, é necessário respeitar as particularidades, também é preciso ter em mente que essas mudanças de hábitos serão possíveis se houver, de fato, uma compreensão de sua importância para a saúde, o que passa pela socialização do conhecimento sobre alimentos e nutrição.
            A escola representa um ambiente favorável e privilegiado para o estímulo à formação de hábitos saudáveis ou correção no que diz respeito á alimentação de nossos alunos. Na maioria das vezes a falta de referência para uma boa alimentação é agravada pela ação da mídia na divulgação de produtos comerciais nem sempre nutritivos (Super Size). O impacto negativo que a propaganda pode ter nos hábitos alimentares da população será tanto maior se crianças e jovens não forem educados para escolher adequadamente os alimentos que irão consumir. O estudo e a realização de debates sobre alimentação e nutrição adequada na escola, levando em conta o desenvolvimento de outras atividades educativas, propiciam ao aluno condições de assumir uma postura crítica diante das informações que são lançadas até ele através dos educadores.
            Sendo assim, a oferta de uma alimentação equilibrada na vida particular de nosso aluno está relacionada aos conhecimentos que lhe são passados e atribuídos como corretos, e a criação de hortas escolares e uma maneira de trabalhar a questão da alimentação sadia, deixando de ser apenas um discurso e partindo diretamente para prática, com o acompanhamento nutricional.
No caso das hortas escolares, além de propiciar à orientação sobre a importância de verduras, legumes e frutas, o educador abre a possibilidade de ajudar a suprir as deficiências nutricionais de nossos alunos e até mesmo da população mais carente da comunidade.
A hora do lanche pode ser transformar em um momento para exercitar o conhecimento adquirido em relação aos alimentos e nutrição, deixando de lado qualquer tipo de alimentos no estilo Super Size.


Profº. Esp. Juarez Souza Magnus
Licenciatura Plena em Ciências –Habilitação: Biologia
Biólogo / CRBio-03 Reg. Nº 69.544/03-D
Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores